Outros

Escolhido projeto de sinalização para o novo museu do IMS em São Paulo

O escritório de design Quadradão foi o escolhido para desenvolver o projeto de sinalização do novo museu do Instituto Moreira Salles em São Paulo. A escolha foi feita após processo de concorrência de que participaram também os escritórios CLDT, Hardy Design, Oz Design e ps.2. Todos os projetos apresentados foram de altíssima qualidade (veja abaixo parte das propostas). 

A concorrência aconteceu em duas etapas. Na primeira, foi feita uma análise de portfólios de 16 escritórios e escolhidos os cinco que participariam da segunda fase. Os escritórios pré-selecionados receberam, em dezembro de 2014, uma carta-convite. Em janeiro de 2015, foi realizada uma reunião de briefing com as equipes de designers, os arquitetos responsáveis pelo projeto do museu e a direção do IMS. Durante os meses de fevereiro, março e abril, os escritórios desenvolveram seus projetos, que foram entregues para o IMS no dia 30 de abril de 2015. 

Os estudos de projeto foram apresentados por seus autores nos dias 12 e 13 de maio de 2015 para uma comissão julgadora de que participaram Flávio Pinheiro, superintendente do IMS, Lorenzo Mammì, membro do conselho curatorial do IMS, Marcelo Morettin, arquiteto e autor do projeto do novo museu, Jânio Gomes, coordenador executivo financeiro, e Marília Scalzo, coordenadora de Comunicação e Marketing do IMS. Na última semana de maio de 2015, foi divulgado o escritório escolhido. 

A partir de agora, começa o desenvolvimento do projeto e seu detalhamento, em trabalho conjunto do escritório Quadradão com os arquitetos da Andrade Morettin e a equipe do IMS. A produção de peças e a implantação da sinalização interna e externa do novo museu do IMS deverão estar concluídas em 2016.

 

Os projetos concorrentes

 

Quadradão

O projeto apóia-se em três bases: um museu vertical, com um térreo elevado organizador, e que cultiva o diálogo com a cidade. A proposta de sinalização estrutura-se em três gestos: o primeiro conduz o visitante da entrada na avenida Paulista ao térreo elevado; o segundo leva ao percurso vertical, pelos programas propostos pelo edifício; e o terceiro revela a sinalização horizontal em cada um dos andares. Para a sinalização vertical, foi escolhido o meio digital, para a horizontal, o analógico.

Painéis digitais indicam o caminho para o térreo elevado e divulgam a programação na entrada da Paulista (figura 1).

Painéis digitais ao lado dos elevadores indicam a circulação vertical no prédio (figura 2).

A sinalização indicativa nos andares é feita na horizontal, para dar a localização de cada área no andar, e na vertical, na marcação de cada um dos espaços (figura 3).

 

(Figura 1)

 

(Figura 2)

 

(Figura 3)

 

CLDT

 

Hardy Design 

 

Oz Design 

 

PS2

 

 

Novo museu em São Paulo 

Construir um amplo centro cultural em São Paulo é antiga aspiração do Instituto Moreira Salles. Desde 1996, o IMS tem uma galeria na rua Piauí, em Higienópolis, com espaço insuficiente para abrigar as grandes exposições de fotografia e artes plásticas que promove. Nos últimos anos, toda vez que trouxe para São Paulo grandes exposições de arte e fotografia, o IMS contou com inestimáveis parceiros, como a Pinacoteca do Estado de São Paulo, o Sesc e a Fiesp/Sesi. Agora, com o novo museu que constrói na Avenida Paulista, 2424/2440, entre as ruas Bela Cintra e Consolação, o IMS estará em condições de realizar as exposições que habitualmente promove em seus outros centros culturais e mostrar na capital paulista fotografias e obras de seu rico acervo. 

O projeto do novo museu é do escritório Andrade Morettin Arquitetos, vencedor de um concurso realizado no final de 2011 de que participaram outros cinco importantes escritórios brasileiros. O prédio de sete pavimentos (todos com pé-direito duplo) terá, além das áreas destinadas às exposições, que somam 1.200 metros quadrados, um auditório-cinema – onde acontecerão mostras de filmes, eventos musicais, seminários e debates – uma biblioteca, salas de aula para cursos, loja, um café, um restaurante e a administração do IMS. Assim, o Instituto espera ter uma presença marcante em São Paulo, o mais movimentado e importante cenário cultural do país. 

Nas palavras dos arquitetos Marcelo H. Morettin e Vinicius Hernandes de Andrade, o novo museu do IMS terá uma relação franca e direta com a cidade. “Imaginamos um museu acessível, que ofereça um ambiente interno tranquilo e acolhedor, capaz de equilibrar a vibração das calçadas com a natureza e a escala dos espaços museológicos que exigem uma qualidade de luz e uma percepção do tempo muito especiais. Enfim, um museu marcante, que proporcione uma experiência única e pessoal para o visitante.” 

As obras para a construção do novo museu começaram em novembro de 2013 e têm previsão para terminar em três anos e meio.

 

 

  • IMS São Paulo