São Paulo, fora de alcance
Fotografias de Mauro Restiffe

A primeira exposição do novo programa de exposições de fotografia contemporânea do IMS é São Paulo, fora de alcance, do paulista Mauro Restiffe. A pedido da revista ZUM, Restiffe já havia fotografado o bairro da Luz em 2012. Para esta exposição, ele foi convidado a estender seu trabalho sobre a cidade de São Paulo, realizando caminhadas por outros bairros, tanto centrais quanto periféricos, como Brás, República, Pinheiros, Vila Congonhas e Itaquera. Esses deslocamentos aconteceram quase diariamente por três meses e deram origem a centenas de fotografias, feitas com a câmera Leica e o filme preto e branco de alta sensibilidade que fazem parte da poética do artista. Restiffe é conhecido pelas séries fotográficas que desenvolve em torno de questões urbanas de relevância histórica, política e arquitetônica. 

As 18 obras escolhidas para a exposição apresentam a cidade, o espaço urbano e seus habitantes. Muito longe de cartões-postais, elas atualizam o repertório visual de São Paulo ao olhar para espaços públicos e construções importantes como o estádio Itaquerão, a praça do Relógio, o Templo de Salomão, a praça Roosevelt, o vão livre do Masp e o Museu do Ipiranga. Ampliadas em formatos que variam de 60 centímetros a mais de dois metros de largura, as imagens ganham escala monumental.  

Os usos variados que os habitantes fazem da cidade e os diversos estágios de construção e conservação do patrimônio arquitetônico se combinam para narrar visualmente a experiência fragmentada que caracteriza a vida urbana. Nas imagens da exposição, os deslocamentos diários ao trabalho ou os passeios de fim de semana se misturam a fatos extraordinários, como o incêndio no Memorial da América Latina, ocorrido em novembro de 2013, ou um dos vários protestos realizados no ano passado.  

Ao usar o preto e branco para fotografar acontecimentos recentes, o fotógrafo dá às obras uma ambiguidade temporal. O preto e branco e a alta granulação produzem uma unidade entre as pessoas e o variado tecido urbano, ao mesmo tempo em que serve de metáfora para a organização caótica e precária das cidades. 

As obras de Restiffe serão afixadas em painéis espalhados pelo espaço expositivo em vez de estarem penduradas nas paredes. A montagem, que faz alusão ao percurso das cidades, obriga o visitante a confrontar-se com as obras e contorná-las, construindo planos, perspectivas e bloqueios conforme se caminha pela galeria. O título da exposição também sugere a impossibilidade de representar uma cidade grande e complexa como São Paulo.  

São Paulo, fora de alcance tem curadoria de Thyago Nogueira, coordenador de fotografia contemporânea do IMS. O projeto expográfico é de Martin Corullon, do escritório Metro Associados, e a identidade visual, de Daniel Trench. A exposição é acompanhada de um livro com cerca de 50 imagens do projeto.  

O novo projeto de exposições em fotografia contemporânea se soma às atividades que o IMS vem desenvolvendo nesta seara nos últimos anos e que incluem a publicação da revista de fotografia ZUM e o oferecimento da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS.

Sobre o artista 

Mauro Restiffe nasceu em São José do Rio Pardo, em 1970. Formou-se em cinema pela Faap e estudou fotografia no International Center of Photography e na New York University. Suas obras foram expostas, entre outros lugares, no MAC-SP (2011) e na 27ª Bienal de São Paulo. Seu trabalho faz parte de coleções importantes, como as da Tate Modern, do MoMA de São Francisco, de Inhotim e da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Foi indicado ao prêmio BES-Photo de 2011 e, em 2013, foi premiado pela Fundação Conrado Wessel. Expôs no Rio de Janeiro em 2006, na galeria Laura Marsiaj. Esta é sua primeira individual institucional na cidade.

Exposições

São Paulo, fora de alcance
Fotografias de Mauro Restiffe. Curadoria de Thyago Nogueira
 
Visitação: 8/6 a 28/9
De terça a domingo, das 11h às 20h

Local

Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
Tel.: (21) 3284-7400
 

 

Eventos relacionados

Conversas na galeria: 20 de setembro, às 17h, com Agnaldo Farias e Ana Luiza Nobre.
  • Vila Congonhas
  • Vão Livre
  • Templo de Salomão #1
  • Praça Roosevelt #4
  • Praça Roosevelt #3
  • Praça Roosevelt #2
  • Praça do Pôr do Sol #1
  • Praça da Bandeira
  • Nova Luz #3
  • Memorial #2
  • Manifestação #1
  • Largo da Batata #1
  • Itaquerão #2
  • Itaquerão #1
  • Ipiranga #1
  • Estacionamento Oficina
  • Ceagesp #1
  • Brás

Cidades são organismos vivos – nascem, crescem e se desenvolvem. Raramente morrem e, em geral, sobrevivem àqueles que as moldaram ou que nelas vivem. A convite do Instituto Moreira Salles, o fotógrafo Mauro Restiffe percorreu bairros centrais e periféricos de São Paulo, como Luz, República, Pinheiros, Vila Congonhas e Itaquera. Munido de uma câmera portátil e de filmes em preto e branco de alta sensibilidade, Restiffe palmilhou as ruas para esquadrinhar a vida da cidade num momento de profundas transformações. O resultado está nas fotografias desta exposição -- uma síntese visual da paisagem humana, arquitetônica e topográfica de São Paulo e uma representação aguçada das tensões políticas e sociais que dão forma ao espaço urbano.

Os usos variados que os habitantes fazem da cidade, os conflitos entre o desenvolvimento econômico e o patrimônio arquitetônico, a complexidade de planos e situações que decorrem do relevo urbano – tudo isso faz parte das imagens. Eventos cotidianos, como os deslocamentos diários ou os passeios de fim de semana, convivem com fatos extraordinários, como um dos vários protestos do último ano ou o incêndio no Memorial da América Latina. Cartões-postais como o Museu de Arte de São Paulo dividem a atenção com lugares menos reconhecíveis, como a praça do Pôr do Sol ou os arredores da avenida Jornalista Roberto Marinho. Estamos olhando para o espaço e o tempo da cidade, aquilo que lhe dá corpo e vida.

Parte da frustração e do fascínio que São Paulo exerce sobre seus habitantes vem de seu ciclo de evolução acelerado e da dificuldade em controlar inteiramente o espaço urbano. É o que sugere a fotografia tirada no largo da Batata, ao mostrar um importante entroncamento da cidade ao mesmo tempo em reforma e em ruína. Tão logo surgem, as construções de São Paulo já parecem velhas, como se precisassem ser constantemente substituídas, numa espiral de renovação que não vê fim.

As fotografias de Restiffe apresentam uma complexidade de situações urbanas, algumas claramente visíveis, outras menos. Mesmo que os planejadores de uma cidade fossem indiferentes ao espaço, acreditava o antropólogo Claude Lévi-Strauss, as cidades seriam o produto de uma estrutura mental subjacente, uma ordem quase fora de alcance, que se insinuaria sobre os domínios vagos para se expressar de forma simbólica ou real, “um pouco como as preocupações inconscientes se aproveitam do sono para se exprimir”.

Depois de percorrer e fotografar exaustivamente São Paulo, Restiffe talvez tenha intuído uma ordem própria. Ao expor a complexa interação entre o espaço, as pessoas e a arquitetura, ao sugerir que a experiência urbana é uma realidade fragmentada, definida por microscópicos grãos de prata, o fotógrafo age como um planejador inconsciente, um artista que, talvez sem perceber, constrói uma nova forma visual para representar a cidade.

Thyago Nogueira, curador e coordenador da área de Fotografia Contemporânea do Instituto Moreira Salles. 

São Paulo, fora de alcance
Fotografias de Mauro Restiffe. Curadoria de Thyago Nogueira
 
Visitação: 8/6 a 28/9
De terça a domingo, das 11h às 20h

Local

Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
Tel.: (21) 3284-7400
 

 

Eventos relacionados

Conversas na galeria: 20 de setembro, às 17h, com Agnaldo Farias e Ana Luiza Nobre.

Vídeo mostra Mauro Restiffe preparando as fotos da exposição São Paulo, fora de alcance. 

 

Mauro Restiffe conta neste vídeo de seis minutos como concebeu e realizou a série de fotografias que deu origem à exposição São Paulo, fora de alcance, em cartaz no IMS-RJ. Enquanto ouve as explicações, o espectador do vídeo acompanha o trabalho do artista em seu estúdio, a impressão das fotos (todas em grande escala e feitas com filme preto e branco) e os preparativos para a mostra.

 

Inaugurando a série "Conversas na galeria", Mauro Restiffe conversou com Thyago Nogueira, editor da revista ZUM e curador da mostra. Ao público, ele disse que o trabalho realizado na capital paulista foi feito "com muita angústia" e que buscou lugares menos óbvios nos bairros.

São Paulo, fora de alcance
Fotografias de Mauro Restiffe. Curadoria de Thyago Nogueira
 
Visitação: 8/6 a 28/9
De terça a domingo, das 11h às 20h

Local

Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
Tel.: (21) 3284-7400
 

 

Eventos relacionados

Conversas na galeria: 20 de setembro, às 17h, com Agnaldo Farias e Ana Luiza Nobre.

Outras exposições

Em 1964

Em 1964

Richard Serra: desenhos na casa da Gávea

Richard Serra: desenhos na casa da Gávea

Exposições

Anri Sala: o momento presente (IMS-RJ)

Anri Sala: o momento presente (IMS-RJ)

Millôr: obra gráfica (IMS-RJ)

Millôr: obra gráfica (IMS-RJ)

Meus caros amigos - Augusto Boal - Cartas do exílio (IMS-RJ)

Meus caros amigos - Augusto Boal - Cartas do exílio (IMS-RJ)

Modernidades fotográficas, 1940-1964 (IMS-RJ)

Modernidades fotográficas, 1940-1964 (IMS-RJ)

Do arquivo de um correspondente estrangeiro: fotografias de Luciano Carneiro (IMS-Poços de Caldas)

Do arquivo de um correspondente estrangeiro: fotografias de Luciano Carneiro (IMS-Poços de Caldas)

O Paço, a praça e o morro (Paço imperial - RJ)

O Paço, a praça e o morro (Paço imperial - RJ)

Alice Brill: impressões ao rés do chão (IMS-Poços de Caldas)

Alice Brill: impressões ao rés do chão (IMS-Poços de Caldas)

A rua de minha infância (IMS-Poços de Caldas)

A rua de minha infância (IMS-Poços de Caldas)

O olhar que pensa o desenho (IMS-Poços de Caldas)

O olhar que pensa o desenho (IMS-Poços de Caldas)

No meio do Rio, entre as árvores: a Amazônia de Jorge Bodanzky (MIS-SP)

No meio do Rio, entre as árvores: a Amazônia de Jorge Bodanzky (MIS-SP)

Marcel Gautherot – Brésil: tradition, invention (Paris - MEP)

Marcel Gautherot – Brésil: tradition, invention (Paris - MEP)

Haruo Ohara: Fotografias (Japão)

Haruo Ohara: Fotografias (Japão)

Rio, papel e lápis (IMS-RJ)

Rio, papel e lápis (IMS-RJ)

David Drew Zingg: imagem sobre imagem (IMS - Poços de Caldas)

David Drew Zingg: imagem sobre imagem (IMS - Poços de Caldas)

Fotografia de domingo (IMS - Poços de Caldas)

Fotografia de domingo (IMS - Poços de Caldas)

A viagem das carrancas (IMS-RJ)

A viagem das carrancas (IMS-RJ)

Marcel Gautherot – o jubileu no santuário (Tiradentes - MG)

Marcel Gautherot – o jubileu no santuário (Tiradentes - MG)

Claudia Andujar: no lugar do outro (IMS-RJ)

Claudia Andujar: no lugar do outro (IMS-RJ)

Rio: primeiras poses (IMS-RJ)

Rio: primeiras poses (IMS-RJ)

Alice Brill: impressões ao rés do chão (IMS-SP)

Alice Brill: impressões ao rés do chão (IMS-SP)

Face andina - fotografias de Martín Chambi (IMS - Poços de Caldas)

Face andina - fotografias de Martín Chambi (IMS - Poços de Caldas)

Emancipação, inclusão e exclusão (IMS - Poços de Caldas)

Emancipação, inclusão e exclusão (IMS - Poços de Caldas)

Arvoressências (IMS-Poços de Caldas)

Arvoressências (IMS-Poços de Caldas)

William Eggleston, a cor americana (IMS-RJ)

William Eggleston, a cor americana (IMS-RJ)

Modernidades: fotografia brasileira 1940-1964 (Círculo de Belas-Artes de Madri - Espanha)

Modernidades: fotografia brasileira 1940-1964 (Círculo de Belas-Artes de Madri - Espanha)

David Drew Zingg: imagem sobre imagem (IMS-SP)

David Drew Zingg: imagem sobre imagem (IMS-SP)

Geraldo de Barros e a fotografia (Sesc Belenzinho - SP)

Geraldo de Barros e a fotografia (Sesc Belenzinho - SP)

Olhar e desenhar (IMS Poços de Caldas)

Olhar e desenhar (IMS Poços de Caldas)

Um passeio pelo Rio (IMS-RJ)

Um passeio pelo Rio (IMS-RJ)

Geraldo de Barros e a fotografia

Geraldo de Barros e a fotografia

Face andina - fotografias de Martín Chambi

Face andina - fotografias de Martín Chambi

Luz, cedro e pedra – Esculturas do Aleijadinho fotografadas por Horacio Coppola

Luz, cedro e pedra – Esculturas do Aleijadinho fotografadas por Horacio Coppola

A fotografia como investigação do ver

A fotografia como investigação do ver

Flieg fotógrafo (MAC - SP)

Flieg fotógrafo (MAC - SP)

O Estúdio Fotográfico Chico Albuquerque

O Estúdio Fotográfico Chico Albuquerque

Em 1964

Em 1964

Thomaz Farkas: Memórias e descobertas

Thomaz Farkas: Memórias e descobertas

Richard Serra: desenhos na casa da Gávea

Richard Serra: desenhos na casa da Gávea

Araújo Porto-Alegre: singular & plural

Araújo Porto-Alegre: singular & plural

Jacques Henri Lartigue - A vida em movimento

Jacques Henri Lartigue - A vida em movimento

Marc Ferrez: mestre da fotografia do século XIX

Marc Ferrez: mestre da fotografia do século XIX

São Paulo contemporânea por Cristiano Mascaro

São Paulo contemporânea por Cristiano Mascaro

Panoramas: a paisagem brasileira no acervo do IMS

Panoramas: a paisagem brasileira no acervo do IMS

Robert Polidori: Fotografias

Robert Polidori: Fotografias

Artur Pereira: Esculturas

Artur Pereira: Esculturas

Anna Mariani: pinturas e platibandas

Anna Mariani: pinturas e platibandas

Charles Landseer: Desenhos e aquarelas de Portugal e do Brasil

Charles Landseer: Desenhos e aquarelas de Portugal e do Brasil

As construções de Brasília

As construções de Brasília

Fred Sandback - O espaço nas entrelinhas

Fred Sandback - O espaço nas entrelinhas

Video portraits de Robert Wilson

Video portraits de Robert Wilson

Saul Steinberg: As aventuras da linha

Saul Steinberg: As aventuras da linha

Mira Schendel, pintora

Mira Schendel, pintora

Raphael e Emygdio: Dois modernos no Engenho de Dentro

Raphael e Emygdio: Dois modernos no Engenho de Dentro

William Kentridge: Fortuna

William Kentridge: Fortuna

Lugar nenhum

Lugar nenhum